Uma campanha na internet quer arrecadar R$ 15 mil para pagar a remoção da tatuagem feita na testa de um adolescente torturado em São Bernardo do Campo, no ABC paulista. Os responsáveis pelo coletivo Afroguerrilha criaram uma vaquinha pela internet para ajudar o adolescente a custear um procedimento para retirada da tatuagem na testa e também no tratamento psicológico dele. Até as 10h30 deste domingo (11), a campanha já havia arrecadado R$ 11,5 mil.


O adolescente de 17 anos, que teve a testa tatuada com a inscrição: “eu sou ladrão e vacilão” foi encontrado por amigos no fim da tarde deste sábado (9), na Estrada dos Casa, em São Bernardo do Campo. Ele prestou depoimento à polícia, no 3º Distrito Policial da cidade, negou ter cometido qualquer furto, foi levado ao posto médico para ser medicado e voltou para a casa da avó.
Os responsáveis pela tortura são o tatuador Ronildo Moreira de Araújo, 29 anos, e o vizinho Maycon Wesley Carvalho dos Reis, 27 anos. Na tarde deste sábado, a juíza Inês Del Cid, da Vara Criminal de São Bernardo do Campo, decretou a prisão preventiva deles.
Além de ter a testa marcada com uma tatuagem, o adolescente revelou que teve o cabelo cortado e teve os pés e as mãos amarrados por Ronildo e Maycon.
O advogado da família, Leonardo Rodrigues, disse a um site jornalístico que deve se reunir com a família para saber quais medidas jurídicas deve tomar nos próximos dias. “Vamos avaliar. Primeiro vamos cuidar dele, ele foi medicado, está assustado com o que passou. Muitas pessoas compartilharam a imagem dele fazendo julgamento sem conhecer os fatos. Ele não fez nada do que foi dito e espalhado na internet.”
Ele estava desaparecido desde 31 de maio e a família o reconheceu no vídeo gravado e divulgado em redes sociais pelos dois agressores, que foram presos em flagrante.